quinta-feira, 11 de março de 2010

Dá que pensar!

Recebi este email e não resisti a mostrar. Eu sei que é um pouco longo, não deixem de ler, não se vão arrepender.

Dá que Pensar

Nasceste antes de 1986?


Então lê isto...
Se não... lê na mesma....


Esta merece!!!!!


Deliciem-se...


Nascidos antes de 1986.
De acordo com os reguladores e burocratas de hoje, todos nós que nascemos nos anos 60, 70 e princípios de 80, não devíamos ter sobrevivido até hoje, porque as nossas caminhas de bebé eram pintadas com cores bonitas,em tinta à base de chumbo que nós muitas vezes lambíamos e mordíamos.

Não tínhamos frascos de medicamentos com tampas 'à prova de crianças', ou fechos nos armários e podíamos brincar com as panelas.

Quando andávamos de bicicleta, não usávamos capacetes.

Quando éramos pequenos viajávamos em carros sem cintos e airbags, viajar á frente era um bónus.

Bebíamos água da mangueira do jardim e não da garrafa e sabia bem.

Comíamos batatas fritas, pão com manteiga e bebíamos gasosa com açúcar, mas nunca engordávamos porque estávamos sempre a brincar lá fora.

Partilhávamos garrafas e copos com os amigos e nunca morremos disso.

Passávamos horas a fazer carrinhos de rolamentos e depois andávamos a grande velocidade pelo monte abaixo, para só depois nos lembrarmos que esquecemos de montar uns travões.

Depois de acabarmos num silvado aprendíamos.

Saíamos de casa de manhã e brincávamos o dia todo, desde que estivéssemos em casa antes de escurecer.

Estávamos incontactáveis e ninguém se importava com isso.

Não tínhamos Play Station, X Box.

Nada de 40 canais de televisão, filmes de vídeo, home cinema, telemóveis, computadores, DVD, Chat na Internet.

Tínhamos amigos - se os quiséssemos encontrar íamos á rua.

Jogávamos ao elástico e à barra e a bola até doía!

Caíamos das árvores, cortávamo-nos, e até partíamos ossos mas sempre sem processos em tribunal.

Havia lutas com punhos mas sem sermos processados.

Batíamos ás portas de vizinhos e fugíamos e tínhamos mesmo medo de sermos apanhados.

Íamos a pé para casa dos amigos.

Acreditem ou não íamos a pé para a escola;

Não esperávamos que a mamã ou o papá nos levassem.

Criávamos jogos com paus e bolas.

Se infringíssemos a lei era impensável os nossos pais nos safarem.

Eles estavam do lado da lei.

Esta geração produziu os melhores inventores e desenrascados de sempre.

Os últimos 50 anos têm sido uma explosão de inovação e ideias novas.

Tínhamos liberdade, fracasso, sucesso e responsabilidade e aprendemos a lidar com tudo.


És um deles?


Parabéns!


Passa esta mensagem a outros que tiveram a sorte de crescer como verdadeiras crianças, antes dos advogados e governos regularem as nossas vidas, 'para nosso bem'.


Para todos os outros que não têm a idade suficiente , pensei que gostassem de ler acerca de nós.

Isto, meus amigos é surpreendentemente medonho... E talvez ponha um sorriso nos vossos lábios.

A maioria dos estudantes que estão hoje nas universidades nasceu em 1986, ou depois. Chamam-se jovens.

Nunca ouviram 'we are the world' e uptown girl conhecem de westlife e não de Billy Joel.

Nunca ouviram falar de Rick Astley, Banarama ou Belinda Carlisle, entre muitos outros.

Para eles sempre houve uma só Alemanha e um só Vietname.

A SIDA sempre existiu.

Os CD's sempre existiram.

O Michael Jackson sempre foi branco.

Para eles o John Travolta sempre foi redondo e não conseguem imaginar que aquele gordo tivesse sido um deus da dança.

Acreditam que Missão impossível e Anjos de Charlie, são filmes do ano passado.

Não conseguem imaginar a vida sem computadores.

Não acreditam que houve televisão a preto e branco.

Agora vamos ver se estamos a ficar velhos:
1. Entendes o que está escrito acima e sorris.
2. Precisas de dormir mais depois de uma noitada.
3. Os teus amigos estão casados ou a casar.
4. Surpreende-te ver crianças tão á vontade com computadores.
5. Abanas a cabeça ao ver adolescentes com telemóveis.
6. Lembras-te da Gabriela (a primeira vez).
7. Encontras amigos e falas dos bons velhos tempos.
8. Vais encaminhar este e-mail para outros amigos porque achas que vão gostar.


SIM ESTÁS A FICAR VELHO
/A heheheh , mas tivemos uma infância do caraças.

13 comentários:

Pepper disse...

Olha, agora é que me fizeste sorrir e ficar com lágrimas nos olhos ao mesmo tempo. As brincadeiras na rua até escurecer, ir sozinha e à pé para a escola, os joelhos e cotovelos todos esfolados por causa das brincadeiras, partilhar a comida com os amigos, etc, etc...sim, bons tempos sim senhora!
Bjs

Just Me...S disse...

lol...já conhecia e é só verdades!!! Eu sou de uma boa colheita: 72 hehehehe

Beijoca doce

AVOGI disse...

Já conhecia mas é verdade. hoje em dia tudo se faz para a segurança da criança e nós? Nós tínhamos segurança também. Acho que hoje em dia se subestima a criança.

Helga disse...

Também já conhecia e adoro de cada vez que o leio. É a mais pura realidade, mas os tempos mudam e na geração dos nossos netos, o tempo dos nossos filhos vai-lhes lembrar a mesma nostalgia que nos lembra a nós agora, é que nessa altura talvez já não se saia mesmo à rua para nada, e a bicicleta seja apenas um artefacto do passado.

Beijinhos :)

maria teresa disse...

Eu já o conhecia e devo afirmar que tive uma infância "mais do que do caraças", nasci nos anos quarenta...
Abracinho

Olga disse...

Pois conheço isso tudo. Subi às árvores a medo, porque tu é que foste sempre a corajosa, iamos a pé para a escola, brincavamos à apanhada e às escondidas até ser noite. Conheço a Gabriela de nome porque ainda nem TV tinhamos, ouviamos musica e liamos livros e ouviamos histórias sentadas à lareira e muitas coisas mais. Somos dessa geração. Tivemos uma infância diferente dos nossos filhos, mesmo muito diferente. Gostei muito.

Anabela disse...

Ola Patty
Sei que comentaste o Clube banho MAria, mas gostaria de saber a tua identificação: nome verdadeiro, etc etc. aceito a sugestão mas gosto de saber com quem dialogo.
Prof Anabela Reis
Banho Maria

Olhos Dourados disse...

Eu revi-me em muitas dessas coisas. Estarei a ficar velha? lol

Hévi ! disse...

Puxa vida!! O texto é realmente muito legal...
Acho que não faço parte da geração alegre e natural (tenho 19 anos ainda), mas não tive uma infancia tão tecnológica e artificial como as crianças de hoje em dia, muito embora fui cercada de cuidados e super proteções por ter sido uma criança bem frágil.
De fato, por mais que as coisas hj tentem apagar costumes de antigamente, é inegável que vcs criaram esse mundo tão genial no qual vivemos hj.
Beijinhos!!

Naty Araújo disse...

Apesar de não ser dessa época... eu conhecia sim.
Hj em dia as crianças são bem diferentes de antigamente... São seguras até demais, eu diria... Não podem nem se sujar numa lama. Correr num parque que já está correndo perigo.
Bjos.

Pinkk Candy disse...

também sou dessa geração! que saudades *.* quem me dera que o meu baby apanhe uma época melhor do que esta que estamos a viver agora!

=)

xoxo

Lala disse...

Ahahaha! Muito giro. Já o tinha recebido, mas adoro lê-lo sempre. Porque recordo a infância, a adolescência... e tudo aquilo que nó tínhamos e eles agora não têm!
Eu cá sou de uma frutuosa colheita de '78!

Beijinhos**

Brown Eyes disse...

Não trocava a minha infância, vivida num país cheio de ilusão, por nada. Beijinhos